Semijoias de alta e baixa fusão: qual a diferença entre elas?

Semijoias de alta e baixa fusão: qual a diferença entre elas?

revender semijoias

No ramo da revenda de acessórios, é necessário tomar alguns cuidados e ter bastante conhecimento sobre os processos de fabricação das peças para evitar problemas com precificação dos produtos ou deixar as clientes insatisfeitas.

Por isso, se você é uma iniciante em revender semijoias e tem dúvidas sobre as semijoias de alta e baixa fusão, confira o artigo de hoje e saiba mais detalhes sobre essas peças.

Neste artigo iremos solucionar algumas dúvidas como o que é uma joia de alta fusão, qual a diferença para a de baixa fusão, qual delas é melhor e qual vale mais a pena comprar. Confira!

revender semijoias

O que caracteriza uma semijoia de alta fusão?

Os acessórios de alta fusão são denominados dessa maneira por serem produzidos em metais base que precisam de alta fusão para serem fundidos.

Portanto, qualquer semijoia produzida com cobre e o latão é considerada de alta fusão, por precisar de temperaturas superiores a 850ºC em sua elaboração, normalmente atingindo a média de 1000ºC. Outros metais como o ouro e prata também são fundidos em altas temperaturas.

Somente com um alto ponto de fusão esses metais podem ser derretidos e em seguida modelados no formato do acessório desejado (seja um brinco, anel, etc).

E a de baixa fusão?

A única diferença para as semijoias de baixa fusão é que elas são produzidas com metais bases que precisam de temperaturas menores, sendo necessário menos de 500ºC para fundir os materiais que formam essas peças.

Por isso, os acessórios produzidos com estanho e manganês são caracterizados como semijoias de baixa fusão.

Qual é melhor: a semijoia de alta ou a de baixa fusão?

Agora que você entendeu a diferença entre esses métodos de produção, provavelmente deve estar se perguntando: algum deles é melhor?

Porém, uma semijoia ser de alta ou baixa fusão não caracteriza ela como melhor ou pior em qualidade do que outras, já que a diferença está apenas no método de produção.

Normalmente algumas pessoas têm a ideia errada de que as semijoias de alta fusão são de melhor qualidade, mas isso se deve ao fato de que o processo de alta fusão é mais eficiente para fazer acessórios delicados.

Por isso, a maioria das semijoias com detalhes, zircônias ou cravações de pedra é feita com alta fusão, pois esse método garante mais complexidade na elaboração da peça.

Pelo mesmo motivo, as peças de baixa fusão costumam ser mais simples, não ter tantos detalhes, pedras ou cravações, já que a produção é menos complexa.

A única forma de definir a diferença de qualidade entre esses dois tipos de peça é analisando o processo de folheação ou banho da peça, que pode ser feito com outros materiais de valores diferentes (prata ou ouro, por exemplo).

As peças em alta fusão são mais caras?

Sim. Entre as semijoias de baixa ou alta fusão, as peças feitas em alta fusão são mais caras.

Afinal, o método de produção em grandes temperaturas é mais complexo e requer mais tempo e investimento, resultando em acessórios mais caros.

Em qual delas vale mais a pena investir?

Em relação a durabilidade da peça e qualidade, em ambos os processos de fabricação o resultado é o mesmo.

As peças são de alta qualidade e o nível do acabamento irá variar de acordo com o fabricante.

Por isso, na prática, você deve escolher sua semijoia de acordo com a que você gostar mais e for de acordo com sua personalidade.

Apenas caso você esteja, por exemplo, com um orçamento baixo para investir na revenda ou acabou de ingressar no mercado de acessórios.

Nesse caso o ideal é pedir ao seu fornecedor as semijoias em baixa fusão, que têm um valor mais acessível.

9h16k