Musculação e os tipos de treinos

Musculação e os tipos de treinos

O musculação ou treinamento contra resistência pode ser definido como:

– Meios de preparação física utilizados para o desenvolvimento das qualidades físicas relacionadas com as estruturas musculares.

TUBINO (1984)
– Conjunto dos processos e meios que levam ao aumento e ao aperfeiçoamento da força muscular, associada ou não a outra qualidade física.

LAMBERT (1987)

– Atividade física feita com maior predominância em exercícios analíticos, com  maior parte das resistências progressivas fornecidas por recursos materiais tais como: halteres, barras, anilhas e etc.

GODOY (1994)

tipos de musculação

Aplicabilidade da Musculação

  • Estética – Desenvolvimento e manutenção da estética corporal.
  • Terapêutica – Correção e/ou estabilização de desvios e disfunções orgânicas, reabilitação, etc.
  • Profilática – Prevenção de desvios posturais e distúrbios funcionais oriundos de hipocinesias.
  • Preparação Física – Desenvolvimento e aprimoramento das qualidades físicas relacionadas as estruturas neuromusculares. –
  • Competitiva – Levantamentos Básicos, Olímpicos, Fisiculturismo.
  • Especiais aplicadas – na infância e adolescência, 3ª idade, hipertensos, cardiopatas, diabéticos, etc.

Modalidades do treinamento

Treinamento Isométrico

– Tipo de treinamento onde há o aumento de tensão muscular, porém não há alteração no comprimento do músculo, por isso não há movimento articular.

Treinamento Contra Resistência Dinâmica

  • Compreende a contração concêntrica e excêntrica ou ambas as contrações, onde:

o Contração concêntrica é aquela em há o encurtamento da musculatura e o seu ganho de tensão.

o Contração excêntrica é quando se observa o ganho de tensão ao mesmo tempo em que o músculo se alonga.

A maioria dos movimentos apresentam a combinação das contrações excêntricas e concêntricas.

MÉTODOS MAIS COMUNS DE TREINAMENTO CONTRA A RESISTÊNCIA

  • Método Alternado por Segmento
  • Métodos PULL-PUSH
  • Métodos da Pirâmide crescente e decrescente.
  • Método do Super-Set
  • Método da Série Composta
  • Método do Super-Set Múltiplo
  • Método do Bi-Set
  • Método do Tri-Set
  • Método de Pré-exaustão
  • Método da Série Gigante
  • Método do Circuito
  • Método Super-Circuito
  • Método Pliométrico
  • Método Isométrico e etc.

Além desses métodos aqui citados, existem ainda vários outros, o que permitiria atender de forma bem ampla o objetivo de cada aluno. Cabe então ao treinador determinar o melhor de acordo com a fase do treinamento.

Procedimentos para prescrição de exercícios

Fase inicial

Para a prescrição do treinamento de acordo com o objetivo do aluno, seja ele, força pura, hipertrofia, força explosiva ou resistência e endurance é necessário efetuar a mensuração da força muscular. No entanto, é necessário que o aluno passe por um período de familiarização devido ao baixo nível de coordenação intermuscular, principalmente para aqueles sem experiência no treinamento neuromuscular.

É recomendado que, esses testes para identificação da força, sejam efetuadas após a 5ª semana, pois assim haverá menor risco de erros significativos.

Teste de força dinâmica

Teste de 1 RM – (repetição máxima) – Consiste na quantidade máxima de peso levantado em um esforço simples máximo, no qual o aluno executa a biomecânica correta do movimento e determina a força máxima dinâmica e o peso a ser utilizado como referencia na construção do programa de treinamento. (VIANNA, 2009)

O teste pode ser realizado através do método Crescente e Decrescente, para a determinar a força de resistência pode ser utilizado o teste de peso por Repetição.

Identificada a RM é possível determinar o percentual de carga e número de repetições das séries de treinamento de acordo com objetivo do aluno.

9h16k